(81) 99135-6966

diversidade.naoviolencia@gmail.com

Sala do Conexões de Saberes,

Pró Reitoria de Assuntos de Extensão.

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Sede Recife/Dois Irmãos.

  • Facebook Social Icon
  • White Instagram Icon
  • YouTube - White Circle
  • Twitter Social Icon

Contradição e Unidade - Texto de apoio a Oficina 2: Coerência Humana.

 

Capitulo IX. Contradição e Unidade
 
1. A contradição inverte a vida. É a inversão dessa corrente crescente da vida o que se experimenta como sofrimento. Por isso, o sofrimento é o sinal que adverte sobre a necessidade de mudança na direção das forças que se opõem.


2. Aquele que se encontra detido na marcha por sua repetida frustração está aparentemente detido porque, na verdade, regressa. Uma e outra vez, os fracassos passados fecham seu futuro. Quem se sente frustrado vê o futuro como repetição de seu passado, ao mesmo tempo em que experimenta a necessidade de se separar dele.


3. Quem está preso ao ressentimento e encara o futuro, o que não fará para vingar, em intrincada revanche, seu passado?


4. Na frustração e no ressentimento, violenta-se o futuro para que curve seu lombo em sofrido regresso.

 


5. Por vezes, os sábios recomendaram o amor como escudo protetor dos sofridos embates... Mas a palavra "amor", enganosa palavra, significa para ti a revanche do passado ou uma original, límpida e desconhecida aventura lançada ao porvir ?


6. Assim como tenho visto o solene cobrir grotescamente o ridículo, assim como tenho visto a vazia seriedade enlutar a graça do talento, tenho reconhecido em muitos amores a auto-afirmação vingativa.


7. Que imagem tens dos sábios? Não é verdade que os concebes como seres solenes, de gestos pausados, como quem tem sofrido enormemente e, em função desse mérito, convidam-te desde as alturas com suaves frases nas quais se repete a palavra "amor"?


8. Eu, em todo verdadeiro sábio, tenho visto uma criança que brinca no mundo das ideias e das coisas, que cria generosas e brilhantes bolhas que ele mesmo faz estourar. Nos faiscantes olhos de todo sábio verdadeiro tenho visto "dançar para o futuro os pés ligeiros da alegria". E muito poucas vezes tenho escutado de sua boca a palavra "amor"... Porque um sábio verdadeiro nunca jura em vão.


9. Não acredites que pela vingança purificas teu passado sofrido, nem tampouco por usar o "amor" como poderosa palavra ou como recurso de uma nova armadilha.


10. Verdadeiramente amarás quando construíres com a mira colocada no futuro. E, se recordas o que foi um grande amor, só haverás de acompanhá-lo com suave e silenciosa nostalgia, agradecendo o ensinamento que tenha chegado até o dia de hoje.


11. Assim, não romperás teu sofrimento passado falseando ou aviltando o futuro, mas mudando a direção das forças que provocam contradição em ti.


12. Creio que saberás distinguir entre o que é dificuldade (bem-vinda seja, já que podes saltar sobre ela) e o que é contradição (solitário labirinto sem ponto de saída).


13. Todo ato contraditório que, por qualquer circunstância, tenhas efetuado em tua vida tem um inequívoco sabor de violência interna e traição a ti mesmo. E não importará por que motivos te encontraste nessa situação, mas sim como organizaste tua realidade, tua paisagem, nesse preciso instante. Algo se fraturou e mudou teu rumo. Isso te predispôs a uma nova fratura. Assim, todo ato contraditório te orienta à sua repetição, da mesma maneira que todo ato de unidade interna também busca sua repetição mais adiante.


14. Nos atos cotidianos, vencem-se dificuldades, alcançam-se pequenos objetivos ou colhem-se minúsculos fracassos. São atos que comprazem ou desagradam, mas que acompanham o viver diário, como os andaimes de uma grande construção. Eles não são a construção, mas são necessários para que esta se efetue. Talvez esses andaimes sejam de um material ou de outro – isso não importa, desde que sejam idôneos para seu objetivo.


15. Quanto à construção em si, onde puseres material defeituoso, multiplicarás o defeito e, onde puseres material sólido, projetarás a solidez.


16. Os atos contraditórios ou unitivos constituem a essencial construção de tua vida. No momento em que te encontrares diante deles, não te deves equivocar, porque, se o fizeres, comprometerás teu futuro e inverterás a corrente de tua vida... Como sairás depois do sofrimento ?


17. Mas acontece que nesses momentos já são numerosos teus atos contraditórios. Se desde os alicerces tudo está falseado, o que fica por fazer? Desmontar por acaso toda tua vida para começar de novo? Permita-me dizer-te que não creio que toda tua construção seja falsa. Portanto, abandona ideias drásticas que possam acarretar males maiores do que hoje padeces.


18. Uma vida nova não se baseia na destruição dos "pecados" anteriores, mas em seu reconhecimento, de maneira que fique claro, daí em diante, a inconveniência daqueles erros.


19. Uma vida começa quando começam a se multiplicar os atos unitivos, de maneira que sua qualidade vá compensando (até finalmente desequilibrar favoravelmente) a relação de forças anterior.


20. Deves ser muito claro nisto: tu não estás em guerra contigo mesmo. Começarás a te tratar como um amigo com quem é necessário reconciliar-se, porque a própria vida e a ignorância afastaram-te dele.


21. Necessitarás de uma primeira decisão para te reconciliar, compreendendo tuas contradições anteriores. Depois, uma nova decisão para querer vencer tuas contradições. Por último, a decisão de construir tua vida com atos de unidade, rejeitando os materiais que tanto prejuízo atraíram sobre tua cabeça.


22. É conveniente, de fato, que reconheças, em teu passado e em tua situação atual, os atos contraditórios que verdadeiramente aprisionam-te. Para reconhecê-los, basear-te-ás nos sofrimentos acompanhados de violência interna e no sentimento de traição a ti mesmo. Eles têm claros sinais.


23. Não estou dizendo que te deves mortificar com exaustivos repasses do passado e do momento atual. Recomendo, simplesmente, que consideres tudo aquilo que mudou teu rumo em direção desafortunada e que te mantém ligado com fortes ataduras. Não te enganes mais uma vez, ao te dizeres que aqueles são "problemas superados". Não está superado, nem compreendido adequadamente, aquilo que não haja sido comparado com uma nova força que compense e ultrapasse sua influência.


24. Todas essas sugestões terão valor se estiveres disposto a criar uma nova paisagem em teu mundo interno. Mas nada poderás fazer por ti pensando só em ti. Se quiseres avançar, deverás algum dia admitir que tua missão é humanizar o mundo que te rodeia.


25. E, se queres construir uma vida nova, livre de contradições, superadora crescente do sofrimento, terás em conta dois falsos argumentos: o primeiro oferece-se como a necessidade de solucionar os problemas íntimos, antes de encarar qualquer ação construtiva no mundo. O segundo aparece como um total esquecimento de si mesmo, como um declarado "compromisso com o mundo".


26. Se quiseres crescer, ajudarás a crescer aqueles que te rodeiam. E isso que afirmo, estejas ou não de acordo comigo, não admite outra saída.
 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

A Mudança e a Crise

May 3, 2017

1/1
Please reload

Posts Recentes

May 3, 2017